Home » Variedades » Delegadas bonitas – fotos

Baseados na novela Salve Jorge, o pessoal do jornal Zero Hora e Diário Gaúcho fizeram uma coletânea de fotos das Delegadas bonitas do Brasil, confira algumas abaixo:

Delegadas bonitas

Delegadas bonitas do Brasil

foto de delegada

delegada bonita

as mais belas delegadas

 

FONTE: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/precisamosderespostas/81,0,601,23526,conheca-as-belas-delegadas.html

Gostou das fotos? Confira abaixo o texto retirado do G1 da Globo sobre as bonitas e poderosas delegadas do Brasil:

Delegadas bonitas: Personagem de Giovanna Antonelli em ‘Salve Jorge’ inspira mulheres a entrar na polícia. Carreira exige diploma de Direito e concurso público.

Elas são lindas, jovens e poderosas… E andam armadas! Cada vez mais mulheres assumem cargos de comando nas polícias brasileiras. O ambiente ainda pode ser masculino, mas isso está mudando e elas têm a força.

Doutora Elisa, carioca de 31 anos, é lutadora de vale tudo e pós-graduada em Ciências Criminais.

Doutora Renata, mineira de 32 anos. Entre uma sessão e outra de pilates, faz treinamento intensivo de tiro.

A gaúcha doutora Elizângela tem mestrado, doutorado e dois livros sobre drogas e crimes sexuais.

Doutora Marcela, lutadora de boxe tailandês que já mostrou sua rotina em uma série sobre mulheres da lei.

O que essas belas mulheres têm em comum? A profissão: são delegadas de polícia.

É cada vez mais comum ver mulheres se formando para delegadas nas academias de polícia do país. No Rio de Janeiro, no último concurso para delegado de polícia, dos aprovados, 30% são mulheres.

“Sou delegada de polícia há 15 anos. Quando entrei essa realidade era um pouco diferente. O percentual de mulheres vem aumentando na polícia”, diz Jéssica de Almeida, diretora da Academia de Polícia.

Em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul, 28% dos delegados de polícia hoje são mulheres. No Pará, esse índice chega a 36%.

Na novela ‘Salve Jorge’, a delegada Helô, personagem da atriz Giovanna Antonelli, reflete um pouco essa nova realidade.

“O charme das delegadas é poder ser feminina em um ambiente tão masculino e ser respeitada pelo sexo oposto, já que a mulher viveu tantos anos submissa”, afirma a atriz.

“Hoje em dia, o perfil da Polícia Civil está mudando. Não existe mais aquela imagem do delegado truculento, mais velho”, avalia Renata Fagundes.

A doutora Andréa Ferreira tem 25 anos e poderia até ser confundida com uma modelo, mas ela comanda uma delegacia inteira em Taquara, no Rio Grande do Sul. “A equipe A vai entrar por trás da casa e a equipe B entra pela frente. Tudo certo? Então vamos nos arrumar”, coordena Andréa.

“A Academia de Polícia praticamente muda a nossa mentalidade de enfrentar o medo. Então o medo acaba ficando em segundo plano”, diz a delegada.

Quando elas estão em uma operação de rua, a beleza fica um pouco escondida por debaixo do uniforme, mas na delegacia é diferente.

“Roupa de trabalho não tem decote. Eu evito usar calça jeans, procuro roupas mais sociais. Sapato alto sempre, 24 horas, porque eu sou mulher. A gente não pode esquecer que, independentemente da profissão, a gente é mulher, vaidosa. Sempre o distintivo”, conta Marcela Ortiz.

“Unha, cabelo… A gente tenta cuidar. Acho que a questão da apresentação pessoal da gente também é importante”, diz Elisangela Reguelin.

“As pessoas ainda se surpreendem. Ficam, no primeiro momento, surpresas, sem palavras. Elas ficam olhando, por exemplo, ‘eu pedi para falar com o delegado’. Poxa, é ela a delegada? É ela que vai chefiar? Será que ela tem capacidade? Mas quando você começa a se colocar, a tomar as decisões corretas e mostrar o seu conhecimento jurídico…”, conta Marcela.

“A gente tem que acertar, que ser competente, tem que mostrar que sabe o que está fazendo para que as pessoas confiem na gente”, afirma Elisa.

“Acho que mais do que os homens”, avalia Marcela.

“Somos testadas o tempo todo e precisamos acertar o tempo todo. O menor erro perde a confiança”, diz Elisa.

Preconceito no trabalho e nos relacionamentos amorosos. Marcela conta que já perdeu namorado por causa da profissão. “Aqueles homens mais machistas, ou homens mais inseguros, não ficam muito tempo. Eles se afastam”, completa Elisangela.

“Tem uma mistura de medo e, ao mesmo tempo, tesão naquela mulher ali, que de repente tira uma arma da perna”, acredita Giovanna Antonelli.

“A arma tem que ficar no corpo. Agora está na bolsa porque está filmando, não vou ficar com ela aqui”, diz Renata Fagundes.

“O pessoal sempre tem curiosidade de saber o que a gente traz dentro da bolsa. Telefone, escova de cabelo, tem a nossa pistola”, enumera Elisangela.

Por que está aumentando a procura pelo cargo de delegada da polícia? “A gente vem de uma polícia de enfrentamento para uma polícia que está buscando a paz, uma polícia de pacificação. Eu acho que essa polícia mediadora tem muito a ver com o papel da mulher. Essa delegada traz para esse ambiente policial uma harmonia e uma capacidade de solucionar conflitos. A mulher está percebendo que o cargo de delegado é bastante feminino”, avalia Jéssica de Almeida.

“O que tem de mulher dizendo ‘eu vou fazer concurso para delegada por sua causa, por causa da Helô’… Está virando ‘in’ ser delegada”, comemora a atriz.

Se você se animou, não pense que é fácil. É preciso se formar na faculdade de Direito, prestar concurso público. “A gente estuda bastante. São concursos longos, que duram praticamente um ano e meio”, diz Andréa. Mas só pode assumir uma delegacia, se passar na formação da Academia de Polícia. “Para aprender a atirar, defesa pessoal e depois de um ano e meio, dois anos, a gente se forma em delegada. Tem que estudar muito não só antes de fazer o concurso, como durante e depois”, diz Andréa.

A atriz Giovanna Antonelli conta o que descobriu da vida de delegada de polícia, que surpreendeu. “Hay que endurecer, pero sem perder ternura jamais. É verdade, né?”.

Advertência: antes de começar qualquer dieta ou rotina de exercícios físicos a fim de emagrecer, perder peso ou ganhar massa muscular, um médico deverá ser consultado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>